2015: um ano que será cheio de desafios!

Fonte: We Heart It
 Olá, Galáticos! Tudo bom com vocês? Bom, comigo está tudo tranquilo ainda; digo ainda, porque 2015 será um ano muito corrido, calma, vou explicar tudinho para vocês.

 Em 2015 eu termino o ensino médio (sim, passou muito rápido e eu já estou sentindo falta) e com isso no próximo ano já devo estar cursando a faculdade. Você só se dá conta de que tem que escolher o curso e a instituição que quer quando a água bate no pescoço, ou seja, no ultimo ano do EM.

 Fiz o ENEM em 2014 e já sei no que tenho que focar para conseguir entrar no curso e instituição que quero, mas para eu conseguir vou precisar correr atrás de algumas matérias atrasadas.

 Como eu sei que não conseguirei estudar por conta própria em casa, resolvi investir em um pré-vestibular, porque tenho certeza que não vou deixar de ir as aulas ou de me dedicar mais, já que paguei para isso.

Não sei se vocês sabem, mas eu já tinha uma rotina dupla (por conta do colégio e do estágio), porém essa rotina passará a ser tripla (colégio, estágio, pré-vestibular).

 Acho que você já perceberam onde eu quero chegar né? aijsiajsijais Por mais uma vez, venho dizer que não terei tempo para esse cantinho, o blog.

"Poxa, Rafa! Mas você até trocou o layout e tals" Sim, troquei, mas isso não quer dizer que eu não vou voltar aqui, só vai ficar corrido até Julho para mim, depois eu volto com mais frequência aqui e espero voltar com uma boa noticia.

Bom, a saga de post da viagem está acabando, mas fiquem de olho, ainda tem mais!

Beijos.


Buenos Aires: 2º Dia


Foto: Pinterest

 No segundo dia em Buenos Aires fizemos um tour pelos pontos turísticos mais famosos e que não dá para deixar de visitar.



 Para começar o dia bem acordamos super cedo. Tínhamos combinado de sair do hotel as 8h00, mas como precisávamos nos arrumar, tomar o café, fazer o cambio, achamos que se acordássemos as 6h00 daria tempo de sobra. O problema é que não mudamos horário e como estamos em horário de verão, lá em Buenos Aires é uma hora a menos. Resultado: Acordamos as 5h00 da manhã.



 Nossa primeira parada foi na Catedral Metropolitana ou Igreja da Santíssima Trindade, a primeira Catedral de Buenos Aires (San Martin 27 e Av Rivadivia, Buenos Aires, Centro). Essa igreja fica perto da Plaza de Mayo, que tem uma história linda, ela é o centro politico e histórico da Capital Porteña. Quem tiver interesse em saber o que aconteceu nessa praça (principalmente na época da Ditadura), pode ler sobre nesse link.



 Passamos pela Casa Rosada ou Casa de Governo, onde a presidente Cristina Kirchner trabalha, ou como falam os argentinos, onde ela diz que trabalha.

O Bairro da Boca é o mais lindo, incrível e inspirador. É nele que ficam as casas coloridas, o Caminito e o Estadio do grandioso Boca Juniors. Por Buenos Aires ser muito monogromático, foi esse lugar que eu mais me encantei.

Geeeeeente, vocês não vão acreditar, eu tenho um time na primeira divisão do Campeonato Argentino :O <3, sim, achei essa flamula em um camelô, me apaixonei, ah, e ainda é da minha cor favorita.

Bom, depois de passear pelo Caminito, fizemos um tour pelo Porto Madero e por uma parte da Recoleta e de Palermo.

Chegamos as 13h no hotel e fomos procurar um restaurante para almoçar.




 Almoçamos em um restaurante chamado Parrilla El Gaucho (Lavalle 870 - Microcentro - Buenos Aires - Argentina), primeiro pedi nhoque, já que não estava com vontade comer batata e carne de novo, porém foi decepcionante, estava pensando em um molho com carne ou frango junto ao nhoque, mas quando chegou era apenas o nhoque com um molho ralo avermelhado, não estava gostoso. Ok, vamos apelar para a carne com batata, pedi então um Bife de Chorizo, consegui matar minha fome, mas também não estava bom.

 Esse restaurante aceita Real e tem um cambio legal, WiFi funciona super bem (isso é muito importante ajsajsiajsi), os garçons não são muito simpáticos, mas não devemos esperar simpatia de argentino, então ok. 

Depois do almoço, voltamos ao hotel e tentamos conseguir um taxi para irmos ao Zoológico (não quisemos optar pelo Zoo de Lujan, pois isso tomaria um dia nosso, estava relativamente caro, e achamos que não compensava, já que dizem que os animais são dopados), mas o recepcionista do hotel disse que chegaríamos mais rápido e gastaríamos menos indo de metrô.


Fonte: Meus Roteiros de Viagem

 Pegamos a linha verde na Estação Tribunales, que ficava na esquina do hotel, uns 15 minutos depois estávamos na Estação Plaza Italia, que fica de frente com o Zoo Buenos Aires. Pagamos $140 pesos (cerca de R$35 dilmas) para visitar o zoo.

Lá tem muitos animais lindos, se você quiser alimenta-los, você pode comprar comidinha na entrada. 

O que eu mais gostei de ver foi as llamas, awwwwn, elas são muito fofas, e ah, amei ver o tigre branco, gente, é muito lindo, poderia ter ficado olhando por horas que eu não me cansaria. 

 Já aviso, passem longe do elefante (ou elefanta?), acho que ele não gosta de selfie aijsiajsiajs acreditam que jogou terra em mim? 

Só não visitei a parte das cobras, porque tenho muito medo, porém, minha amigas entraram para ver e estavam demorando, resolvi entrar para procura-las, tentei usar a técnica de olhar para a parede que não tinha aquários, mas não deu muito certo, já que tinha muitos cartazes com fotos das cobras.



 Enfim, voltamos para o hotel também de metrô, chegamos exaustas, tomamos banho, descansamos e saímos para jantar.

Resolvemos que não queríamos comer carne e batata novamente, então fomos para o Burguer King (pertinho do Obelisco), pedi um Cheesburguer Duplo com Bacon, acompanhado de batata frita gigante e Pepsi, sim, a fome estava triste. 

Depois de comer, resolvemos dar uma volta pela Av. Corrientes e visitar algumas das livrarias e sebos da avenida.




Voltamos para o hotel e fomos dormir, porque no outro dia precisávamos acordar cedo para mais um dia nessa cidade maravilhosa.

 Beijos, até o próximo post!


Buenos Aires: 1º Dia









Pessoas que encontrei pelo caminho: O argentino Mártin!

Qualidade das fotos da viagem </3








 Tenho uma certeza: não sou só eu que gosto de conhecer pessoas novas. Todo mundo alguma vez na vida conheceu alguém e teve a certeza de que aquela pessoa não passou por ali em vão.

 Seja em outro país, outro estado, outra cidade ou até mesmo no bairro vizinho, conhecer e conviver com novas histórias nos enriquece culturalmente e espiritualmente. 

 Viajei a pouco tempo pra Buenos Aires e depois de passar por uma experiência super bacana de uma conversa com um argentino no voo de Guarulhos (SP) à Buenos Aires, percebi que posso conhecer pessoas diferentes, sotaques diferentes, culturas diferentes e trazer para perto tudo aquilo que é diferente de mim. 

 Para não deixar essa ideia tão legal morrer, resolvi criar a tag "Pessoas que encontrei pelo caminho" e dividir com vocês histórias incríveis que passei e ainda vou passar.

 Pois bem, o argentino se chama Martin "de tal", é de Buenos Aires, Capital, e será nossa primeira história.

  Acho lindo poder conhecer a vida das pessoas em apenas uma conversa, porque com toda certeza, você saíra daquela conversa com algo a agregar na sua vida.

 Na minha viagem à Buenos Aires, fiz conexão em Guarulhos (SP). Estávamos em um grupo grande de amigos e não conseguimos ficar todos perto no avião. Sabe aquele papelzinho que as aeromoças te entregam para você declarar tudo o que você vai entrar no país? Então, o papel estava todo em espanhol, como boas alunas de espanhol que somos, tinha muita coisa que não conseguimos entender, então fomos ajudando as colegas né? aaisjiajsiajs

 A Karol me chamou, e do lado dela estava Mártin, argentino dos olhos lindos. Bom, como tinha uma poltrona livre, sentei e comecei a conversar com eles.

 Mártin estava voltando do Brasil, veio para copa e resolveu ficar mais um tempo, tipo seis meses. Perguntei quais cidades ele conheceu e o que mais gostou, respondeu que passou pelo Rio de Janeiro, Fortaleza, Natal, e mais algumas cidades do interior no Nordeste (que, claro, eu esqueci os nomes) e gostou muito da hospitalidade brasileira, tanto que pretende voltar, mas dessa vez para ficar.

 Ele é arquiteto, e quando eu perguntei a idade, apenas me respondeu "muitos" (mania de argentino quando passa da casa dos 30), Pediu que adivinhasse, chutei em uns 25, errei por 11 anos aisjaijsiajsiaj.

 Quando questionei sobre a comida e sobre as mulheres brasileiras, me respondeu com duas palavras "muy bueno" sjaisjaisjiajsiajsi

 Mártin não é adepto das Redes Sociais, diz que não curti muito essa onda virtual. Ele estava lendo um livro que não me recordo, então pedi para ele indicar livros e autores clássicos da Argentina, para que eu pudesse trazer alguma recordação literária de lá. Me indicou escrevendo em um bloquinho, o autor Julio Cortazar e suas obras, "Rayuelo", "Historia de Cronopio y Famas" e "Final de lo Juego" e o autor Jorge Luiz Borges e sua obra "El Aleph" ou qualquer outra de ficção.

 Disse que na Argentina você consegue se formar em curso superior gratuitamente e com ensino de qualidade, indicou também alguns barzinhos em Palermo, só não avisou que não é fácil encontrar argentinos simpáticos e educados como ele...



Buenos Aires: 1º Dia

Fonte: Pinterest
 Olá Galáticos lindos! Depois de duas semanas que cheguei da capital argentina, cá estou eu para compartilhar o quão legal foi conhecer essa cidade maravilhosa.


Em sentido horário:


  • O Sol já querendo nascer enquanto decolávamos em Maringá, 
  • Eu, Mah e o prof.
  • Scarlat, Mah e eu, entendiadas em Guarulhos.
  • Galeraaaa <3
 Saímos de Maringá (PR), ás 6h30 da manhã, com destino à Guarulhos (SP), como teríamos que esperar cinco horas para fazermos conexão, tomamos café da manhã em um Café que fica na área para funcionários do Aeroporto Internacional de Guarulhos, o nome do Café é Bom Senso Café, foi o lugar com o preço menos absurdo que encontramos para comer, porque pagar 5 dilmas em um mini pão de queijo é para acabar com a felicidade .

 Odeio esperar, ainda mais quando estou ansiosa, parece que o tempo não passa, acho que andei em cada lojinha do Aeroporto.


 Nos despedimos de Guarulhos com chuva, estávamos todos cansadas e pensando que conseguiríamos dormir as duas horas e meia de voo até Buenos Aires, mas só pensamos, a ansiedade fez todos ficarem acordadinhos.

  Conheci um argentino, Martin, conversamos a metade do voo, mas isso é história para um outro post.

 A capital portenha nos recebeu com seus 29°C, muito quente.

 Nessa ultima foto você pode ver um dos lados bonitos de Buenos Aires, já que lá também existem favelas, e muito mais feias do que as do Brasil.

 Tenho alguns videos no celular, tentarei postar aqui, se não conseguir, irei postar na fan page do blog.



 Chegamos umas 18h00 no hotel (Unique Park Central, Av. Pres. Roque Sáenz Pena), não saímos para turistar. Fomos dar uma volta na cidade e encontrar algum lugar bacana para jantar, porque a fome estava triste já. Resolvemos jantar no em um restaurante peruano (oi?), o Coya (Tucuman, 874), gostei bastante do restaurante fomos bem atendidos e as garçonetes bem simpáticas e educadas, coisa difícil de achar na Argentina. Não é um restaurante caro, comparando o tamanho dos pratos com os outros restaurantes. 

 Pedimos Pollo a la braza 1/2 acompanhado de salada e batatas fritas, nunca iriamos imaginar que o prato seria gigante ajsiajsiajsiajs mas veio muita comida e quase não conseguimos comer.

 Depois desse jantar levinho (?), fomos a um dos várioooos Starbucks da Av. Corrientes, tomei um frappuccino de dulce de leche, pediram para eu escrever meu nome em um papel para não errarem.... acho que não adiantou.

 Pessoal, sabe do que eu acabei de lembrar? Lembrei que estava na capital portenha e não provei a famosa empada :O Como assim Rafaela? Pois é.

Bom, meu primeiro dia nessa cidade linda não foi tão empolgante, mas fiquem ligados nos próximos post...

 Beijos, até logo!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...